Durante a 6ª edição do CURSO PREVENÇÃO DOS PROBLEMAS RELACIONADOS AO USO DE DROGAS, os cursistas construíram, individual ou em grupos, um projeto de intervenção, apresentado no fim do Curso, que serviu como avaliação final. Ao todo foram entregues mais de cinco mil projetos.

O projeto foi construído levando em conta os conteúdos do Curso e a aplicação prática desses conhecimentos. Por meio de atividades realizadas em cada capítulo, os cursistas aprenderam a escolher uma problemática, delimitar um objetivo, estabelecer uma metodologia e métodos de avaliação e também descobrir formas de captação de recursos. A ideia dos projetos de intervenção foi capacitar os participantes para, ao final do Curso, estarem capacitados para construí-los e aplicá-los em suas comunidades.

A doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal de Santa Catarina (PEN/UFSC), Patrícia Ilha, que participou da coordenação da equipe de mediação da aprendizagem (EMA), da 6ª edição do Curso, conta um pouco como foi a realização dos projetos de intervenção.

“Na 6ª edição, contamos com uma ferramenta de aprendizagem inédita: a realização de um Projeto de Intervenção, cujo objetivo era fazer com que os cursistas voltassem suas atividades para a realidade de suas comunidades, realizando um levantamento sobre os vários aspectos envolvidos nos problemas relacionados ao uso de drogas, principalmente no que se refere às potencialidades e fragilidades do território em questão. A partir desse levantamento de dados, os cursistas deveriam construir projetos bem fundamentados para prevenir ou intervir na problemática em questão, com o intuito de promover o bem-estar integral dos sujeitos que faziam parte dos territórios aos quais os cursistas pertenciam, levando em consideração aspectos de saúde, sociais e psicológicos. Podemos observar no gráfico abaixo os dados referentes a quantidade de projetos recebidos na 6ª edição.

imagem_pi

Alguns cursistas elaboraram seus projetos de forma individual, outros preferiram realizar essa atividade em grupo, reunindo-se de acordo com interesses temáticos comuns ou com a proximidade regional. Mesmo sendo um curso a distância, muitos acabaram encontrando-se para desenvolver um trabalho coletivo que tinha como finalidade colaborar para melhoria de suas comunidades.

Dentre essas propostas de trabalho, citamos três, que foram publicadas no ebook da edição anterior. A primeira é do cursista André Luiz Dantas da Cunha, de Jequié, na Bahia, que elaborou um projeto de promoção de saúde, com o intuito de identificar os danos causados pelo crack na cavidade oral e proporcionar uma melhoria na saúde bucal desses usuários, evitando perdas dentárias, cáries e outros problemas que poderiam afetar a saúde dessa população.

Outro interessante projeto foi o da Ana Paula Alvarenga, de Uberlândia, Minas Gerais. Construído sob a perspectiva da redução de danos, o projeto foi direcionado aos usuários que iriam cumprir ou estavam cumprindo alguma pena e/ou medida alternativa, em que o delito tenha sido uso ou comércio e outros atos relacionados a drogas (conforme disposto na Lei n.º 11.343/2006). Tal projeto delimitou como objetivos articular as diretrizes da Redução de Danos com as tecnologias de cuidado que afirmam a cidadania, os direitos humanos e o protagonismo dos usuários e reduzir a porcentagem de reentrada de usuários no judiciário por delitos da mesma natureza – temática pouco abordada e de extrema importância, principalmente no que se refere à nova política da SENAD.

No Rio Grande do Sul, na cidade de Gravataí, a cursista Juliana Gomes Fiorott elaborou um belo projeto de prevenção para ser desenvolvido com adolescentes em situação de risco, com o objetivo de estabelecer uma rede de apoio, na qual seria realizado um trabalho de prevenção do uso de drogas através de encontros organizados em forma de roda de conversa, fazendo com que os próprios adolescentes pesquisassem os tipos e efeitos de drogas, e, a partir disso, seriam feitas discussões referentes à temática de forma a ampliar a consciência dos menores atendidos em relação ao objeto de estudo, reduzindo as motivações que poderiam levá-los ao uso de drogas.

Os projetos apresentados foram os mais variados, e todos mostraram uma visão humana no cuidado com o próximo, levando em consideração a individualidade e as necessidades de cada região.

A atividade foi um grande desafio, enfrentado com sucesso, que visava o exercício da prática comunitária, levando os aprendizados além das telas do computador e da teoria.”

56 thoughts on “Equipe do NUTE conta a experiência na realização de Projetos de Intervenção

  1. Muito interessante os projetos, aliás existem muitos projetos para o combate as drogas, mas o número de pessoas envolvidas com as drogas é muito maior do que os que estão enganjados nessa batalha contra as drogas e pela salvação dos que estão envolvidos.

  2. Os projetos realizados são interessantes e nos permitem sugestões de trabalho na tentativa de prevenir ou intervir na comunidade que vivemos e enfrentar melhor os problemas relacionados ao uso de drogas, promovendo o bem-estar dos sujeitos envolvidos em relação aos aspectos de saúde, sociais e psicológicos.

  3. Os projetos apresentados são importantes para mostrar caminhos diferentes para serem trabalhados nas escolas sobre a questão das drogas.

  4. Os projetos apresentados tem uma finalidade trabalhar com a criança de uma maneira agradável tirando- o de perto da droga, mostrando o caminho de maneira diferente e mais fácil para solucionar os problemas.

  5. Acredito que todo projeto que seja apresentado pelos cursista sejam bem vindos, pois será para aproveitarmos e aplicarmos para aqueles que estão pedindo ajuda para se livrar das drogas.

  6. bem acredito que todo projeto que seja apresentado pelos cursista sejam bem vindos, pois será para aproveitarmos e aplicarmos para aqueles que estão pedindo ajuda para se livrar das drogas.sou conselheiro e diretor de um P.A. de Santo André e vejo os usuários que ali o chegam totalmente sem sentido onde pedir ajuda então meu propósito na minha região e trabalhar num projeto já existente e com sucesso para amenizar o sofrimento. participei da 6 edição onde adquiri algum conhecimento, estou agora no 7.edição para aprimorar mais e estou realmente fascinado com o andar do curso está sendo muito rico em questões abordadas nas salas,

    • O problema de uso de drogas está presente em todas as regiões do país e é somente com programas como os que foram elaborados que podemos amenizar, prevenir ou intervir nas nossas comunidades dando apoio às crianças, adolescentes e famílias.

    • Roberto, concordo com você quando diz que qualquer projeto é bem vindo, pois precisamos sempre de algo novo para que possamos tirar ou tentar pelo menos, os jovens das drogas.

  7. Os projetos desenvolvidos, acima citados, são muito interessantes. Já desenvolvi no ano passado na 6ª edição do curso, um projeto de prevenção sobre o uso indevido de drogas em minha escola e foi muito gratificante, pois os educandos participaram com muito interesse e dedicação. Sabemos que a escola tem papel fundamental na formação do ser humano. Portanto, a partir desses ensinamentos escolares, levarão para sempre, e, principalmente, quando tiverem sua família, com certeza, saberão educá-a. Implantamos o tema no currículo escolar e trabalhamos o mesmo, durante o ano letivo.

    • Maria, muito interessante você ter trabalhado o assunto sobre as drogas na escola onde trabalha. Acho que a escola tem um grande papel na prevenção das drogas, mas a participação maior é da família na vida do seu filho.

    • Hely, acho fundamental a participação da família na vida dos seus, pois assim eles poderão notar se seu filho está se envolvendo com as drogas e terão tempo de salvá-los desse mal que está tomando conta da população.

  8. Olá muito interessante esses projetos pois alia o conhecimento teórico com a prática,no ano passado me inscrevi mas por motivos alheios a minha vontade (falta de tempo e outros transtornos) não pude participar e desenvolver o projeto,no entanto estou participando da 7° edição do curso e aprendendo muito,gostaria de sabe por que esse ano não será realizados os projetos? desde já obrigada

  9. é enriquecedor essa experiência de poder da teoria desenvolver a prática, principalmente quando se fala de prevenção de uso de drogas, em acessar nossas crianças e adolescentes, penso em um pais que pouco aborda temas tabus, e deixam as crianças a merce da curiosidade e do julgamento social, pois pensar em um processo construtivo com eles é brilhante, e realmente estingante, deveríamos ter nas escolas um espaço para falar de forma aberta sobres nossos tabus, muito bom mesmo.

  10. A dependência química, é uma doença que exige cuidados de uma equipe especializada e de uma intersetorialidade de comunicação para que seja implantada, uma rede de enfrentamento do problema.A prevenção, redução de danos, crack e possível vencer são programas que são bem vindos e ajudarão a sociedade e as comunidades a enfrentarem essa problemática.
    Tem muita coisa a ser feita ainda em relação a essa luta contra as drogas.Mas resalto aqui que a prevenção é o carro chefe dessa luta.Só assim poderemos vencer essa luta evitando que mais usuários se formem.E a questão dos projetos nas comunidades.além das formações de grupos de mutuo ajuda AA e NA. não ficar só dentro das salas limitando -os as reuniões fazendo parcerias com a prefeitura e levando-os a teatros, cinemas.Promovendo concurso de poesias.Incentivando-os a tocar um instrumento (Violão). Enfim quem sabe dando a possibilidade de escreverem até um livro.Desenvolver a auto – estima do dependente quimico.Hoje os jovens querem ação algo para desafia-los.Palestras apenas não fazerão com que eles se interessem por inteiro.

  11. Fico contente por saber que varias pessoas participaram e construiram varios projetos pessando nos usuarios e na prevenção, principalmente identificando a realidade de sua região.

  12. Muito interessante os projetos apresentados para suas comunidades, sempre pensante de uma forma humanitária, tentando melhorar as condições de vida de certa comunidade. Esse curso nos mostra que é possível melhorar nosso entorno. Parabéns a todos.

  13. Todo trabalho que vier para amenizar o sofrimento de uma mãe e de um filho envolvido com drogas, vem para ser a melhor coisa naquele momento e os trabalhos apresentados são todos com a finalidade de devolver um pouco da dignidade do ser humano que a droga leva embora, tanto para o usuário como para sua família. Este curso está me trazendo novos conhecimentos sobre o assunto que permanece vigente e como educadora tenho que ficar atenta e bem informada para poder agir com primazia no momento que me deparar com casos semelhantes aos que foram citados.

  14. Ótima iniciativa de empoderamento aos cursistas de querer ousar,querer elaborar e poder ver concretizar projetos que já estão contribuindo em várias localidades conforme apresentação aqui.Muito me emociona, pois estou preocupada com a juventude sendo vulneráveis e trágicamente atingidas.E não podemos cruzar nossos braços;mas manifestar-nos com muita paciência adquirindo conhecimento e e sabedoria para contribuir de alguma forma na luta e combate ao uso de drogas.Além de apresentar sugestões de projetos voltados para a juventude participativa…. como os apresentados e PARABÉNS !

  15. Muito interessantes os projetos desenvolvidos, gostei muito.É muito importante, que através do aprendizado e da teoria,possamos desenvolver um projeto que venha auxiliar na prevenção do uso de drogas entre crianças e adolescentes.
    Fiquei muito empolgada, pois já tinha em mente a ideia de fazer e realizar um projeto na prevenção de uso de drogas entre crianças e adolescentes.

  16. Parabéns aos idealizadores deste curso de capacitação, pois através dele podemos aprender a desenvolver atividades pertinentes com a realidade do nosso município, buscando criar ações para serem aplicadas para cada situação vivenciada.

  17. Todos o projetos apresentados tem uma finalidade trabalhar com a criança de uma maneira agradável tirando- o de perto da droga, mostrando o caminho de maneira diferente e mais fácil para solucionar os problemas.

  18. O enfrentamento a busca de soluções na base,no alicerce da criança.E´o inicio do combate ao consumo de drogas licitas e Ilicitas na sociedade que vivemos. Desta forma a prevenção e´o caminho indicado.

  19. Esses projetos são de grande importância para a sociedade, pois a cada dia que passa os nossos adolescentes e jovens estão fazendo o uso de drogas tanto licitas com ilícitas, esses projetos precisam serem desenvolvidos principalmente nas escolas das redes publicas , onde as drogas estão entrando pela portas da frente, e a violência aumentando cada vez mais nas escola. O interessante seria que todos os municípios aderissem o programa crack é possível vencer.

  20. Muito interessantes os projetos . Acredito que todo o projeto deve ser elaborado a partir da realidade de cada região, pois dessa maneira é mais fácil trabalhar com os problemas relacionados.

  21. É animador o trabalho que está sendo feito por pessoas bem intencionadas e que tem proximidade com regiões onde a exposição ao uso de drogas é recorrente. Um grande trabalho é o começar com as crianças. Toda sociedade que como a nossa enfrenta problemas com drogas subjugando os adolescentes e até os adultos que investiu nas crianças obteve resultados excelentes. Parabéns aqueles que resolveram investir num futuro próximo prevenindo o uso de drogas a partir das crianças. Talvez este seja o maior e melhor projeto preparado para dar certo em todos os aspectos. Investir nas crianças que serão os pais dos adultos futuros.

  22. excelentes projetos. Cada um buscando intervir na problemática escolhida, focada no tema polêmico que é as drogas. Parabenizo todos os projetos, pois em cada tem respaldo e direcionamento….

  23. Muito interessante o projeto que a população carcerária, pois não havia nenhuma preocupação em desenvolver algum projeto que vise dá oportunidades para esta parte da sociedade. Sabemos que a grande maioria encontram se nesta situação por causa da dependência das drogas.

  24. Achei magnífico a ideia de de fechar a 6ª edição do curso com os projetos de prevenção e cuidado aos usuários de drogas, afinal, todos nós que estamos participando desse cusso, estamos tendo oportunidade de acesso a um rico material de pesquisa que possibilitou além de compreensão dos danos e efeitos causados pelas drogas, nos prepara para uma ação e o desejo de encarar como uma responsabilidade fazer algo para tornar a vida do outro melhor. Parabéns a todos os que fizeram e estão aplicando os projetos em suas comunidades!

  25. Muito bom esses trabalhos apresentados pelos cursistas da 6° edição do curso. Podemos observar a capacidade que temos para elaborar planos de ação que ajude a nossa própria comunidade, de forma humana e respeitando os direitos humanos. Além disso, trata-se de uma forma de participarmos de políticas públicas que visem ao cuidado do usuário de drogas, pois a participação social e a interação entre os vários setores são essenciais para lidar com os problemas relacionados ao uso de drogas.

  26. Gostei do matéria! Trabalho com adolescentes há 25 anos, com um projeto de prevenção contra o uso das drogas! Tenho grupos denominados Grupo JAC em seis cidades, com projetos de implantar em mais 10 cidades. Este curso está me ajudando a ampliar meus conhecimentos e meus projetos, aprendendo com as experiências dos colegas de curso! Estou a disposição para quem quiser dar novas ideias e participar comigo! Os adolescentes aprendem um com outro dentro do grupo e sai com a missão de combater o uso das drogas nas escolas e nas suas comunidades! Mas, ainda tenho que muito que aprender!

  27. Foi muito bom poder construir este projeto que hoje esta sendo aplicado em nossa cidade.
    Tivemos uma grande bagagem de conhecimentos e foi com o auxilio do curso que hoje aplicamos e estamos fazendo valer os conhecimentos e as redes de atendimento. Valeu supera 6 por mais este grande marco pra nós que trabalhamos com dependência química
    .

  28. eu como sempre falo sobre este assunto pois tive este problema de drogas na minha casa eu sinceramene não é porque aconteceu comigo que não concordo que começa em casa eu sempre orientei meus filhos tinha tranquilidade na família e tudo que uma pessoa precisa pra ser uma pessoa ajustada.
    mas acredito que existe o caso de dependência química foi internado várias vezes fazia acompanhamentos com profissionais da área, e não conseguiu sair desta vida infelizmente perdi meu filho que sempre me pedia perdão por não conseguir sair deste mundo tão cruel.Esta vida de dependência é muito cruel com os dependentes eles sofrem tanto quanto às famílias meu filho chorava era muito triste mas seu caráter estava acima de tudo.

    O que penso que nunca devemos dar este primeiro passo rumo ás drogas é um caminho sem volta e com muito sofrimento eu sei o quanto dói você assistir um filho morrendo e só podendo amar este ser tão discriminalizado por todos.
    Precisamos de quanto antes uma solução pra estes casos se não vamos perder muitos jovens.

  29. Muito interessante todos os projetos, especificamente esse que seria realizado um trabalho de prevenção do uso de drogas, através de encontros organizados em forma de roda de conversa do dialogo ,da sua própria consciência,que não ficasse somente na teoria na pratica, faria uma enorme diferença diante do que vivemos em nossa sociedade no nosso dia a dia dia.

  30. Eu já deixei uma resposta, mas gostaria também de escrever mais alguma coisa. Gostei imensamente dos projetos que elaboraram e que realizaram. Cada um fazendo um pouco a realidade muda. Outro trabalho já realizado nesta cidade foi o trabalho da metodologia da Justiça Restaurativa que realizei com as lideranças da Pastoral Paroquial e com os familiares dos dependentes químicos. para o ano está previsto em trabalhar com os alunos de séries iniciais e os pais da mesma escola estadual que trabalhei, a fim de produzir efeito na sociedade. Precisamos trabalhar pais e filhos ao mesmo tempo e desde a tenra idade, senão não transforma. Espero poder fazer a minha parte e ser pessoa que faça a diferença ajudando a transformar o pouco que posso. Temos o exemplo da Colômbia, Bogotá que era a cidade mais violenta daquele pais e com a prática da Justiça Restaurativa, a ONU lhe deu o título de Cidade da Paz. Vamos em frente com coragem e façamos com amor a nossa parte.

  31. muito bom vermos a execusão deste projeto dar certo, creio que aqui na nossa região um projeto deste tamanho seria muito interessante tendo em vista a grande rota,pespequitiva de futuro, mazelas anuais, e a qualidade de vida de nossa populaçao acreana.

  32. São de grande valor estes projetos realizados destas pessoas participantes de cursos. Nós precisamos sair de nossa zona de conforto e realizar algo em favor da vida de nossos irmãos e irmãs. Eu neste ano e no ano anterior fui por diversas vezes trabalhar com os professores(as) e alunos de uma escola estadual de Lagoa Vermelha,RS, para que a escola possa assumir a metodologia da Justiça Restaurativa que leva as pessoas, educadores e pais, a trabalharem com seus filhos e alunos de forma a tratar as pessoas como seres humanos que merecem todo respeito, pois são criados a imagem e semelhança de Deus. Saber separar o erro (ações) da pessoa. Ninguém pode julgar as pessoas, porque não sabemos o porquê chegam a entrar no caminho da droga ou álcool. Nesta metodologia é usado o diálogo franco e aberto, com muito respeito, a fim de poder integrar novamente a pessoa que erra, numa vida social digna da pessoa humana. Vejo que nós pessoas conscientes precisamos tomar novas atitudes e ir ao encontro destes jovens adolescentes, a fim de ajuda-los a não entrarem neste caminho da destruição.. Em outubro de 2015 organizei um grupo para participarem da Justiça restaurativa de 6 a 10, num total de 40 horas, onde participaram , além de outras pessoas, 9 dependentes, um monitor e outras 5 pessoas voluntárias que trabalham na comunidade Terapêutica São José, na qual estamos trabalhando com a metodologia da Justiça Restaurativa. Desejo que este mundo, com nossa presença, possamos fazer a diferença, sendo protagonistas da história, transformando este mundo em mais justo, fraterno e humano.

  33. Analisando os projetos, todos tem sua importância, mas especialmente gostei do desenvolvido em Gravataí, RS. Prevenção para jovens em situação de risco. Quando jovens participam para promover o projeto, acredito que há resultado imediato.

  34. Bom dia!
    Ao ler as experiências de alguns cursistas, compartilho de um projeto de intervenção com um grupo de professores que realizaram numa escola estadual no município de Laranjeiras do Sul no ano de 2014, um curso de extensão “Prevenção ao Uso de Drogas para Educadores de Escola Públicas” e tínhamos alguns problemas relacionados as drogas e a auto-mutilação, desenvolvemos algumas ações com os alunos, famílias, professores, funcionários, equipe diretiva daquela instituição de ensino. Para que as ações fossem efetivadas contamos com o apoio e a parceria dos profissionais de saúde, ou seja, estabelecemos parcerias externas, onde os pais foram convidados a participar com o objetivo de “resgatar a autoridade na família”. Entende-se que a escola, ponto de educação na comunidade, deve proporcionar momentos de interação entre os profissionais, alunos e as famílias, afim de planejar ações preventivas em diferentes áreas de atuação.

  35. Muito bom os projetos apresentados pelos cursistas,principalmente o projeto para a escola e estendido as famílias dos alunos, com o envolvimento de estudantes de diversas áreas e a equipe multiprofissional.

  36. A escola é um lugar especial para da inicio de orientar a criança. A família orientada e bem estruturada como pode dar errado, não tem como.

    • Como enfermeira da Estratégia Saúde da Família, e como educadora, acredito no poder da educação como ferramenta para empoderamento dos sujeitos, especialmente em relação a um temática tão importante como o conhecimento sobre as drogas e a implicação psico-biológica, social e familiar.
      A prevenção do uso e a redução dos danos pode-se fazer pela educação a familiares de alunos, no ambiente escolar.
      Além disso, a educação aos escolares pode ser importante estratégia para a autonomia em relação a escolhas futuras, tendo ciência dos efeitos que as drogas lícitas e ilícitas podem provocar em seu organismo.

  37. Interessantes os projetos apresentados pelos cursistas da 6. Edição do Crurso, a do André Luiz Dantasde Jequie NaBahia com o projeto de promocaode saudepara identificar os danos causados pelo crack na cavidade oral,e buscar a atenção à saúde bucal. Essexprojeto foi implantado pelo Municípios?

    • tODOS OS PROJETOS SAo muito louvaveis e faz pensar em sair da zona do conforto para açao. O judiciario esta cheio de pessoas produtivas que poderiam estar sendo aproveitadas em projetos ,e nao enchendo as penitenciarias. O jovem perde e nao ganha nada estando parado.

Deixe uma resposta para Andrea Maria Bernardes de Medeiros Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>